alleyways

Chegou o outono, que mais parece um inverno fora de hora. Jurava que não veria mais um frio assim no BR. Faz tempo que a única coisa que temos aqui é sol escaldante. Apesar de odiar chuva, estou feliz por não morrer de calor. 



Eu já não tenho a mesma rotina de sempre sair no final de semana. Vai chegando a idade e aumenta a responsabilidade. Ou seja, na semana a minha vida é uma loucura. E no final de semana eu simplesmente morro. Mas mesmo assim dou meu sangue para deixar tudo sempre organizado (minha ascendência em Virgem grita). 

Eu não resisto aos convites da minha amiga Flávia. Ter um amigo pra conversar, sair, dar risada e se sentir bem é a melhor coisa do mundo. 


Sair e acordar em um outro lugar as vezes parece meio estranho. Me sinto fora da minha zona de conforto. Mas mesmo assim a noite foi de muita risada e descontração. Estava precisando muito esquecer um pouco das coisas que me assombram. Preciso de um refúgio fictício que eu ainda não tenho. 



Eu me conheço e sei todos os meus valores. Mesmo as vezes tendo alguns momentos obscuros eu nunca vou perder a minha essência de sempre levar comigo um sorriso imenso no rosto.  A luz do sol de um domingo lindo me fez muito bem. Ver as crianças correndo na rua com seus cachorros e sendo observadas por seus pais me deu um pouco de nostalgia, mesmo eu não tendo esses olhos presentes. 


Depois de um café da manhã lindo e com cias que fez meu coração bater ainda mais forte, eu sabia que daqui a pouco a rotina estaria batendo de volta e o meu despertador gritando, avisando que eu precisaria renovar meu ânimo. 

Música do Dia